O que é conversão e como a identificamos?

De uma maneira simples, conversão seria tudo o que você gostaria que os visitantes fizessem em seu site. Mas a identificação vai um pouco mais além.
Para tal, durante o período de planejamento é importante que se defina:

  • Quais os objetivos do site?
  • Quais os objetivos dos visitantes?
    • Porque eles vão ao seu site?
  • O que é conversão para a empresa?
    • Quais ações queremos que tenham?
    • Quais os pontos de conversão que identificam estas ações?
  • Processos do site
    • Quais os passos para que o visitante chegue aos pontos de conversão?

Mesmo sabendo que cada empresa é única, seguem alguns exemplos de conversões normalmente encontradas:

  • Processo de compras;
  • Processo de subscrição de um serviço;
  • Processo de cadastro para newsletter;
  • Ações do visitante:
    • Download de um documento;
    • Formulário de contato;
    • Suporte Técnico;

Mas lembre-se que, por mais bem feito que seja o planejamento de seu site, ele espelha o que gostaríamos de mostrar aos visitantes e os locais onde gostaríamos que as ações fossem tomadas. Aí cabe a pergunta do grande Garrincha:

“O senhor combinou isso com os Russos?”
Mané Garrincha – Filósofo e Jogador de Futebol – 1958

Isso mesmo, nada ainda foi combinado com seus futuros visitantes. Portanto, é precisos fazer de tudo para que localizem facilmente o que querem e, de preferência, o que queremos; que se tornem nossos fiéis clientes.

Criação dos relatórios

Para que se possa chegar a fase dos “fiéis clientes” primeiro é preciso coletar os dados, criar os relatórios e depois analisá-los. Muitos estão acostumados com o processo do Google Analytics, onde, após a implementação da tag em todo o site, são usados os nomes das URL’s que pertencem ao processo que será analisado.
Trata-se de uma configuração pós tageamento, como mostrado abaixo:

Configurar Goal

Em outros serviços de Web Analytics esta definição pode ocorrer também durante o processo de tageamento, como por exemplo no WebTrends, onde temos a “Análise de Cenário”, que pode ser trabalhado de dois modos:

  • Modo 1: Tageamento
    • WT.si_n=nome-do-processo
    • WT.si_p=passo- ser-analisado
    • WT.si_x=indicação-da-posição-deste-passo
  • Modo 2: Através do “Scenario Analysis Wizard” que basicamente é parecido com o do Google Analytics.

Em outros casos somente podemos criar os passos do processo durante o tageamento, o que torna a fase de planejamento mais necessária ainda.  Exemplo de criação do Yahoo! Analytics:

1.  Nomear os tipo de ações:

Yahoo! actions

2.  Criação das tags:

  • YWATracker.setDocumentName(“Confirmação do Pagamento”)
  • YWATracker.setDocumentGroup(“Carrinho de Compra”)
  • YWATracker.setAction(“01”)                                  //De acordo com a tabela de ações

Análise

Você pode iniciar suas análises com alguns KPI’s (Key Performance Indicators – Indicadores Chaves de Performance) para suas análises:

  • Taxa de conversão – “Número de conversões/Total de visitas”
  • Custo de conversão – “Custo de aquisição/Número de conversões”

Estes KPI’s, alertamos, devem ser analisados de uma maneira global e por canal de aquisição, isto irá mostrar quais os canais que trazem um público mais qualificado e onde se “gasta” mais para trazer o público esperado. Desta forma, pode-se verificar o verdadeiro poder de persuasão do site.

Mas será que somente encontrar os canais com melhor conversão e custo mais baixo é o suficiente? Isso seria deixar, de uma maneira simplista, todo o ônus aos canais. E nós? Não temos culpa em não termos conseguido uma taxa de conversão melhor? Ai é que entra uma análise mais profunda nos processos criados no site, identificando em que ponto os visitantes estão se perdendo, onde criar opções que possam ser usadas para melhorar esta conversão e onde planejar os testes A/B e MVT (Teste multi-variável) para visualização das melhores opções.

Abaixo um exemplo do sumário apresentado pelo Yahoo! Analytics :

Yahoo! Summary

Outro exemplo é o funil de conversão do WebTrends:

Webtrends Conversion Funnel

Com estes serviços é possível analisar quão bem desenhados estão os sites, visando facilitar a vida dos visitantes e atingir os objetivos. Dessa forma,  fica fácil visualizar quais páginas deverão ser foco para os testes.

Até o próximo post!

Estariam chegando ao fim os serviços independentes de Web Analytics?

Aqui no Mundo WA sempre falamos que a área de Web Analytics é uma área quente, e não é para menos. As empresas descobrem a cada dia o quanto a Web pode gerar dados e vêem a necessidade de transformá-los em informações para tomada de decisões através do conhecimento do comportamento de seus clientes, das melhorias de processos (não há outro meio que forneça a facilidade de testes como a Web), e o entendimento do retorno do investimento (ROI) realizado.

Mas, observando sob uma outra ótica, temos presenciado grandes empresas de outros mercados adquirindo as empresas independentes de Web Analytics. No inicio, era comum as empresas maiores de Web Analytics comprarem as empresas menores.

Este quadro começou a mudar quando em 2005 o Google adquiriu o Urchin. Em 2008 veio a aquisição da Index Tools pelo Yahoo, e mais tarde, em 2009, a aquisição da Omniture pela Adobe, apontando uma tendência de aquisição dos players independentes por gigantes do mercado, com o objetivo de incorporá-los às suas suites e integrá-los aos demais serviços já oferecidos.

Coremetrics

Hoje demos adeus a mais um dos grandes players independentes do mercado de Web  Analytics. Foi anunciada a compra da Coremetrics pela IBM, que deverá, muito provavelmente, incluir a ferramenta em sua suíte WebSphere Commerce.
Atualmente, a IBM vem utilizando o Unica NetInsight como solução de Web Analytics em seus Web sites.

Para o mercado brasileiro isso deve ser uma boa noticia, uma vez que a estratégia da Coremetrics não contemplava o Brasil, mas com a integração à IBM, deve ser revista.
A IBM esta no país desde 1917 e nos tem como um dos grandes mercados em todo o mundo, o que significa que não precisaremos esperar muito tempo para um lançamento local.

Para o mercado de análise esta aquisição deve ser vista em conjunto com outras aquisições feitas pela IBM nos últimos anos, como a SPSS (ferramenta de análise estatística) e a Cognos (software de Business Inteligence e Business Performance), que podem vir a ser integradas, ampliando assim suas possibilidades. O anúncio oficial pode ser visto aqui.

IBM
Das grandes empresas mundiais fornecedoras de soluções de Web Analytics sobraram apenas duas: a AT Internet francesa e a americana WebTrends, sendo que esta última, depois da aquisição da Omniture, viu-se numa ótima situação de aquisição por uma empresa como a Oracle ou a Microsoft, conforme comentários de Alex Yoder, CEO da WebTrends, no Blog Oregon Live.

Com este mercado cada vez mais aquecido, ainda deveremos presenciar outras movimentações deste tipo, como aquisições de empresas de Web Analytics específicos para mobile ou mesmo de pesquisas em Mídias Sociais, para integrá-las às suas plataformas de coleta de dados web.

E você, o que acha destes movimentos do mercado? Deixe seu cometário 😉

Até o próximo post!

Se você ainda não leu a carta aberta do Eric Peterson para o Steve Jobs sobre a Seção 3.3.9 do “iPhone Developer Agreement”, vale a pena dar uma olhada:

Carta Aberta a Steve Jobs

Ela estabelece o banimento de aplicações de coleta de dados de terceiros, ou seja, lá se vai a possibilidade da melhoria de processos e da compreensão do comportamento dos visitantes.

Os desenvolvedores de aplicações somente poderão utilizar as ferramentas de programação da Apple, e por não serem compatíveis, acabam impossibilitando o funcionamento da maioria das ferramentas de Web Analytics hoje disponíveis no mercado, como: Omniture, Webtrends, Coremetrics, Unica, Google Analytics, Yahoo Web Analytics, entre outras…

Abaixo o texto original da polêmica Seção 3.3.9:

“3.3.9 The following requirements apply to You and Your Application’s use, collection, processing, maintenance, uploading, syncing, storage, transmission, sharing and disclosure of User Data:

  • All use of User Data collected or obtained through an Application must be limited to the same purpose as necessary to provide services or functionality for such Application. For example, the use of User Data collected on and used in a social networking Application could be used for the same purpose on the website version of that Application; however, the use of location-based User Data for enabling targeted advertising in an Application is prohibited unless targeted advertising is the purpose of such Application (e.g., a geo-location coupon application).
  • You may only provide or disclose User Data to third parties as necessary for providing services or functionality for the Application that collected the User Data, and then only if You receive express user consent. For example, if Your Application would like to post a message from a user to a third party social networking site, then You may only share the message if the user has explicitly indicated an intention to share it by clicking or selecting a button or checking a box that clearly explains how the message will be shared.
  • Notwithstanding anything else in this Agreement, Device Data may not be provided or disclosed to a third party without Apple’s prior written consent. Accordingly, the use of third party software in Your Application to collect and send Device Data to a third party for processing or analysis is expressly prohibited.
  • You must provide information to users regarding Your use and/or Transmission of User Data and explain how Your Application will use User Data, e.g., by providing information in the App Store marketing text that accompanies Your Application on the App Store, by adding an About box within Your Application, or by adding a link to Your privacy policy on Your website.
  • You and the Application must take appropriate steps to protect any User Data from unauthorized disclosure or access. If a user ceases to consent to Your use and/or Transmission of User Data, You must promptly cease all such use and/or Transmission and destroy any such information from Your records (except to the limited extent necessary for Your Application back- ups and record-keeping or as otherwise prohibited by law).”

Em função disso, a Apple, motivada pela batalha travada com outros fabricantes de celulares, em especial os que usam o sistema Android do Google, corre o risco de que os desenvolvedores passem a escrever seus aplicativos para outras plataformas.

É uma pena! Esperamos que a Apple mude sua maneira de pensar neste caso e volte atrás.

Até o próximo post!

WAA_Certification

A WAA – Web Analytics Association – lançou este mês a primeira certificação em Web Analytics. Já possuíamos as certificações de produtos como o GAIQ do Google, o Certified Professional da Omniture, a certificação do Web Trends, entre outras do mercado, mas esta é a primeira certificação sobre o conhecimento dos profissionais em Web Analytics, análise e resolução de problemas em todo o espectro da web.

O “Web Analyst Certification Program” abrange as seguintes áreas:

  1. Otimização de sites
  2. Medição de campanhas de marketing online
  3. Criação e gerenciamento da cultura empresarial

A certificação terá valor por um período de 2 anos.

Processo de certificação

Para ser elegível o candidato deve cumprir os seguintes requisitos:

  • Deve possuir o 2º grau, cinco anos de experiência em negócios OnLine, com pelo menos 3 deles focados em Web Analytics, dentro dos conhecimentos necessários na lista acima; ou,
  • Possuir nível universitário e três anos de experiência em Web Analytics dentro dos conhecimentos necessários para a certificação.

Exame de Certificação

O exame é composto de 60 questões e o prazo para a realização é de 2 horas, com perguntas diretas sobre o seu conhecimento de Web Analytics, questões de análise sobre sua habilidade de interpretar reportes com gráficos, planilhas e uma explicação sobre a situação em questão, e análise de estudos de casos. Todas as questões são de múltiplas escolhas com 4 opções possíveis.

Se quiser ver como são as perguntas, é só clicar em:  sample_website_q_0410.pdf , onde encontrará uma série de exemplos de questões sobre o exame de certificação.

Os primeiros exames, ainda em teste, serão realizados no eMetrics de San Jose, CA em 5 de Maio, no eMetrics de Londres em 17 de Maio e no eMetrics de New York em 15 de Junho.

Os candidatos podem tentar no máximo 4 vezes em um período de 2 anos a contar da primeira tentativa. Caso o candidato passe de 4 tentativas, terá que pagar uma nova taxa de certificação.

Taxas de Certificação

Para membros da WAA a taxa é de US$ 635, os membros corporativos possuem uma vaga gratuita e as demais terão um custo de US$ 450. Para os profissionais que não são membros a taxa é de US$ 795.

Treinamento para a Certificação

Esta certifica̤̣o ̩ baseada no treinamento oferecido pelo UBC РThe University of British Columbia.
A WAA também preparou um “handbook” sobre o exame que pode ser visualizado em: WAA_Certification_Handbook.pdf

Certificação no Brasil

A nossa amiga Thatiana Victorelli, especialista em audiência e Web Analytics do UOL, já esta em contato com a WAA para trazermos esta certificação para o país através do comitê de Web Analytics do IAB-Brasil. Muitos dos participantes do comitê já são membros do WAA o que deve facilitar a “importação” deste processo.

Até o próximo post!

Tagged with:
 

A WA Consulting esta lançando o  2º Estudo do Mercado Brasileiro de Web Analytics.

A metodologia utilizada é a mesma da 1ª versão lançada no ano passado, porém com o aumento do número de empresas participantes.

O estudo mostra a evolução do mercado neste último ano (2009), onde observa-se o crescimento do uso de ferramentas que utilizam “tags & cookies” como método de coleta de dados. Mostra também a participação no mercado dos principais fornecedores de soluções, como: Google Analytics, Omniture, WebTrends, AT Internet, Predicta, entre outras.

Estudo Web Analytics - Mercado Brasileiro

Distribuição das Principais Soluções de Web Analytics de Tags - 2009

  (*) Nenhum – Estas empresas podem utilizar ainda soluções de análise de “Log” ou “Packet Sniffing”

 

Também é apresentada a evolução dos principais setores pesquisados, entre os anos de 2008 e 2009, além de um comparativo no crescimento de cada ferramenta, comprovando a forte tendência na adoção de ferramentas gratuitas. 

Para ter acesso ao estudo completo, basta clicar abaixo e fazer o download do PDF:

 II Estudo do Mercado Brasileiro de Web Analytics – 2010

 

Até o próximo post!