O Google anunciou neste dia 01 de outubro, no evento e-metrics e em seus canais oficiais (links no final do post), a sua mais nova ferramenta de gerenciamento de tags, já chamada de GTM.

Mas o que vem a ser o GTM?

A grosso modo, é uma ferramenta que através de um código único, um snippet assí­ncrono, que pouco diferente do GA, deve ser colocado após a abertura da tag “<“body”>”, tem como objetivo agregar diferentes tipos de tags de mensuração e marketing que usamos nos sites atualmente, facilitando controle, possíveis atualizações/manutenções, volume de javascripts soltos pelo site, influenciando consequentemente no tempo de carregamento, entre outros.

Primeiramente é preciso entender que o GTM não faz parte do Google Analytics, nem do Adwords e muito menos do DoubleClick.

Ele é outro produto que complementa os anteriores, mas não somente.

O que quero dizer é que esta é uma ferramenta independente, que visa sim, conectar os produtos Google, mas que pode ser utilizada com praticamente qualquer tipo de tag, com a única necessidade de se ter uma conta Google.

Vamos entender de forma prática como funciona esta nova ferramenta:

Aproveitando o gancho do assunto “conta”, ela possibilita trabalhar com níveis de acesso e permissões diferenciados, facilitando a distribuição de responsabilidades com nossos clientes internos e externos, sendo os seguintes:
* Sem acesso (No access)
* Somente Visualização (View only)
* Visualizar e Editar (View and Edit)
* Visualizar, Editar, Excluir e Publicar (View, Edit, Delet and Publish)

Permissao-de-usuario

Permissao-de-usuario

Mas vamos aprofundar um pouco no que encontramos na ferramenta e em um visão geral de como ela funciona.

Ela possui uma interface distinta, como já disse, que é acessada através do site do GTM e vai necessitar de um cadastro básico com dados de conta, domínio, etc, conforme imagem abaixo.

Criacao-da-conta

Ao completar o cadastro e aceitar os termos de uso, você já possui uma tag única, chamada de Container (nome bem adequado por sinal).

Criacao-do-container

Após isso você insere as tags que irá agregar, sendo que as do Google já vem com templates que facilitam o trabalho, sendo Adwords-Remarketing e Conversion, DoubleClick-Sales e Counter, e GA somente para o formato básico.

Além destas temos também a opção de tag HTML, que é a mais interessante, já que vocês poderão usar um snippet customizado do Google Analytics ou de outras ferramentas de web analytics (de tags), além da Tag de Imagem, que é similar a que o Google usa no GA, com um pixel invisível, que ao ser carregado leva as informações para os servidores de coleta.

Insercao-de-tags

Após selecionar sua tag, você cria Regras, que vão condicionar os disparos ou não das tags, como é o caso de tags de conversão, de remarketing ou de transação.

Depois de criadas as regras, você pode usar Macros para ajudar a popular com valores variáveis a coleta dos dados feitas pelos disparos de determinadas tags.

E além disso ainda contamos com a função de versionamento dos containers.

Isso quer dizer que efetuar alguma alteração, você pode gravar uma nova versão do container e caso ocorra algo errado, será possível retornar para a anterior, até localizar e corrigir o problema.

Como não poderia deixar de ter, naveguem e aproveitem a documentação do nosso novo “brinquedo” no link e aproveitem.

Post no blog do GA
Video Introducing Google Tag Manager

Flávio Silveira (:o)

Tagged with: