Há dois meses publicamos, aqui mesmo no Mundo WA, a notícia de que a IBM havia comprado uma das melhores ferramentas do mercado de Web Analytics, a Coremetrics. Acreditávamos, naquele momento, que este seria o único passo da IBM para incluir uma ferramenta de coleta de dados à sua solução WebSphere.

Neste mesmo post também comentamos que a IBM estava utilizando a solução da Unica, o NetInsight, como ferramenta de Web Analytics para seus sites. O que não poderíamos prever é que este era somente um passo e que outro viria em pouquissimo tempo.

Há poucos dias, em 13/08, a IBM anunciou a compra da Unica, o que a tornará dona de mais uma ferramenta de Web Analytics, ficando agora com dois grandes produtos: NetInsight e Coremetrics. Já tivemos a oportunidade de trabalhar com ambos e são excelentes.

Para visualizar o comunicado oficial publicado no site da Unica, clique no anúncio abaixo:

IBM to Aquire Unica

Em nossa visão, a IBM pagou US$ 480 milhões pelas ferramentas de gerenciamento de marketing e pelos mais de 1.500 clientes que a Unica já possuia e acabou levando de quebra o NetInsight, ferramenta de Web Analytics que integra a suite de produtos adquiridos.

Este movimento deixa claro a intenção da IBM em se tornar a principal referência em ferramentas de análise de dados e de que fará tudo para que isso se concretize o mais rápido possível.

Vamos aguardar pelos próximos passos desse mercado que está se tornando mais interessante a cada dia. 😉

Até o próximo post!

Tagged with:
 

Estariam chegando ao fim os serviços independentes de Web Analytics?

Aqui no Mundo WA sempre falamos que a área de Web Analytics é uma área quente, e não é para menos. As empresas descobrem a cada dia o quanto a Web pode gerar dados e vêem a necessidade de transformá-los em informações para tomada de decisões através do conhecimento do comportamento de seus clientes, das melhorias de processos (não há outro meio que forneça a facilidade de testes como a Web), e o entendimento do retorno do investimento (ROI) realizado.

Mas, observando sob uma outra ótica, temos presenciado grandes empresas de outros mercados adquirindo as empresas independentes de Web Analytics. No inicio, era comum as empresas maiores de Web Analytics comprarem as empresas menores.

Este quadro começou a mudar quando em 2005 o Google adquiriu o Urchin. Em 2008 veio a aquisição da Index Tools pelo Yahoo, e mais tarde, em 2009, a aquisição da Omniture pela Adobe, apontando uma tendência de aquisição dos players independentes por gigantes do mercado, com o objetivo de incorporá-los às suas suites e integrá-los aos demais serviços já oferecidos.

Coremetrics

Hoje demos adeus a mais um dos grandes players independentes do mercado de Web  Analytics. Foi anunciada a compra da Coremetrics pela IBM, que deverá, muito provavelmente, incluir a ferramenta em sua suíte WebSphere Commerce.
Atualmente, a IBM vem utilizando o Unica NetInsight como solução de Web Analytics em seus Web sites.

Para o mercado brasileiro isso deve ser uma boa noticia, uma vez que a estratégia da Coremetrics não contemplava o Brasil, mas com a integração à IBM, deve ser revista.
A IBM esta no país desde 1917 e nos tem como um dos grandes mercados em todo o mundo, o que significa que não precisaremos esperar muito tempo para um lançamento local.

Para o mercado de análise esta aquisição deve ser vista em conjunto com outras aquisições feitas pela IBM nos últimos anos, como a SPSS (ferramenta de análise estatística) e a Cognos (software de Business Inteligence e Business Performance), que podem vir a ser integradas, ampliando assim suas possibilidades. O anúncio oficial pode ser visto aqui.

IBM
Das grandes empresas mundiais fornecedoras de soluções de Web Analytics sobraram apenas duas: a AT Internet francesa e a americana WebTrends, sendo que esta última, depois da aquisição da Omniture, viu-se numa ótima situação de aquisição por uma empresa como a Oracle ou a Microsoft, conforme comentários de Alex Yoder, CEO da WebTrends, no Blog Oregon Live.

Com este mercado cada vez mais aquecido, ainda deveremos presenciar outras movimentações deste tipo, como aquisições de empresas de Web Analytics específicos para mobile ou mesmo de pesquisas em Mídias Sociais, para integrá-las às suas plataformas de coleta de dados web.

E você, o que acha destes movimentos do mercado? Deixe seu cometário 😉

Até o próximo post!

Se você ainda não leu a carta aberta do Eric Peterson para o Steve Jobs sobre a Seção 3.3.9 do “iPhone Developer Agreement”, vale a pena dar uma olhada:

Carta Aberta a Steve Jobs

Ela estabelece o banimento de aplicações de coleta de dados de terceiros, ou seja, lá se vai a possibilidade da melhoria de processos e da compreensão do comportamento dos visitantes.

Os desenvolvedores de aplicações somente poderão utilizar as ferramentas de programação da Apple, e por não serem compatíveis, acabam impossibilitando o funcionamento da maioria das ferramentas de Web Analytics hoje disponíveis no mercado, como: Omniture, Webtrends, Coremetrics, Unica, Google Analytics, Yahoo Web Analytics, entre outras…

Abaixo o texto original da polêmica Seção 3.3.9:

“3.3.9 The following requirements apply to You and Your Application’s use, collection, processing, maintenance, uploading, syncing, storage, transmission, sharing and disclosure of User Data:

  • All use of User Data collected or obtained through an Application must be limited to the same purpose as necessary to provide services or functionality for such Application. For example, the use of User Data collected on and used in a social networking Application could be used for the same purpose on the website version of that Application; however, the use of location-based User Data for enabling targeted advertising in an Application is prohibited unless targeted advertising is the purpose of such Application (e.g., a geo-location coupon application).
  • You may only provide or disclose User Data to third parties as necessary for providing services or functionality for the Application that collected the User Data, and then only if You receive express user consent. For example, if Your Application would like to post a message from a user to a third party social networking site, then You may only share the message if the user has explicitly indicated an intention to share it by clicking or selecting a button or checking a box that clearly explains how the message will be shared.
  • Notwithstanding anything else in this Agreement, Device Data may not be provided or disclosed to a third party without Apple’s prior written consent. Accordingly, the use of third party software in Your Application to collect and send Device Data to a third party for processing or analysis is expressly prohibited.
  • You must provide information to users regarding Your use and/or Transmission of User Data and explain how Your Application will use User Data, e.g., by providing information in the App Store marketing text that accompanies Your Application on the App Store, by adding an About box within Your Application, or by adding a link to Your privacy policy on Your website.
  • You and the Application must take appropriate steps to protect any User Data from unauthorized disclosure or access. If a user ceases to consent to Your use and/or Transmission of User Data, You must promptly cease all such use and/or Transmission and destroy any such information from Your records (except to the limited extent necessary for Your Application back- ups and record-keeping or as otherwise prohibited by law).”

Em função disso, a Apple, motivada pela batalha travada com outros fabricantes de celulares, em especial os que usam o sistema Android do Google, corre o risco de que os desenvolvedores passem a escrever seus aplicativos para outras plataformas.

É uma pena! Esperamos que a Apple mude sua maneira de pensar neste caso e volte atrás.

Até o próximo post!

Há muito a internet deixou de ser uma mídia de nicho, no Brasil somos mais de 60 milhões de pessoas que acessam a internet de seus lares, no trabalho, em lan-houses, na escola ou pelo celular. Estas pessoas conectadas estão lendo noticias, jogando, assistindo vídeos, escutando musicas, comprando e se relacionando com nossas marcas. E o que as empresas, donas destas marcas, estão fazendo? Procurando atrair as pessoas para seus sites ou comunidades através de campanhas mais marcantes, se posicionando em sites de busca, melhorando o visual de seus sites e procurando conversar com estas pessoas nas redes sociais.

Mas o que realmente funciona e onde devemos investir nossos recursos para ter um retorno melhor para nossas marcas? Aqui é que entra o ecossistema de métricas que chamamos de Web Analytics, e aqui não falo somente das ferramentas como o Google Analytics, Omniture, AT Internet, Coremetrics, WebTrends, ou qualquer outra, mas sim de todo o complexo mundo de medição e pesquisa que tivemos que criar para entender todas as pessoas que se relacionam com nossas empresas. Deixar de nos preocuparmos se a quantidade de visitantes aumentou ou se o tempo de permanência no site diminuiu, e sim ir além disso, procurando entender as nuances de cada tipo de público que queremos ter contato.

O que se vê hoje é uma preocupação com a aquisição de novos “visitantes” para que possamos conversar, não nos incomodando se é o público que queremos, se eles estão contentes com a experiência que tiveram com nossos web sites, se nossos processos facilitam ou não a vida destas pessoas, ou mesmo se estamos investindo nossos recursos nos locais certos e se estamos tendo retorno sobre este investimento feito. É como organizarmos uma festa e nos preocuparmos em chamar o maior numero de pessoas, sem nos arrumarmos para ter bebida, comida e lugar para todos, alguns, se não muitos, irão sair descontentes desta experiência e, sem dúvida, irão comentar isso com outras pessoas. Pronto, a marca, que por tantos anos fizemos um trabalho excepcional para estar na mente e no coração de nossos clientes, esta por um fio. E isso vale não somente para empresas que lidam com o consumidor final, mas também para organizações governamentais, organizações não-governamentais ou mesmo para empresas que se relacionam com outras empresas (B2B), afinal estes relacionamentos são feito por pessoas em nome de seus empregadores.

Mas o que temos nas mãos para que possamos melhorar nossos processos, entender nossos clientes e melhorar o retorno do investimento realizado? Temos um arsenal de serviços que podem nos auxiliar nesta tarefa cada dia mais difícil que é manter a sintonia com o comportamento do nosso consumidor que muda em períodos cada vez mais curtos.  Este arsenal conta com Pesquisas de painel como IBOPE Nielsen Online, comScore, AdPlanner e a HitWise; serviços de Ad´Serving, como Open AdStream, Atlas, Unicast, Google Double Click, Google Ad Manager, EyeBlaster ou AdMotion, que nos mostra como esta a nossa campanha de divulgação; serviços que acompanham nossas campanhas nos buscadores, como os fornecidos pelo Google, Yahoo, pelos próprios fornecedores de SW de Web Analytics, entre outros; e temos serviços de pesquisa que nos mostram o que ocorre com nossas marcas nas mídias sociais. Tudo isso somente para entendermos o que ocorre com os nossos clientes e nossa marca antes mesmo de uma visita ao nosso site.

Entender o que se passa em nosso site é outra história, mas estão intimamente relacionadas com a fase de aquisição, é entender mais do que a quantidade de páginas vistas, numero de visitantes ou métricas isoladas que não consegue nos mostrar uma visão que nos permita melhorar continuamente. Entender se estamos trazendo um público qualificado, o público que realmente queremos ter contato, e o que o motiva a nos procurar é somente o primeiro ponto a ser trabalhado.

Até o próximo post!

Ontem a Forrester lançou o conhecido estudo que faz um comparativo entre os principais Web Analytics do mercado. Conhecido como Forrester Wave: Web Analytics, Q3 2009 era esperado pelo mercado já que sua última versão havia sido em 2007. Neste estudo foram analisados os seguintes softwares:

AT Internet – XiTi Analyser II – Versão 7.5

Coremetrics – Coremetrics Analytics 2009

Google – Google Analytics 2009

Nedstat – Sitestat – Versão 7.40.0046

Omniture – Omniture SiteCatalyst – Versão 14.5

Unica – Única Affinium NetInsight – Versão 7.6

WebTrends – WebTrends – Versão 8.7

Yahoo! – Yahoo! Web Analytics – Versão 9.5

Na análise realizada, 5 empresas alcançaram a posição de “Leader”, mostrando inovação e visão de mercado. Entre estas empresas estão Omniture, Coremetrics, Unica, WebTrends e Nedstat. Na posição de “Strong Performance” esta o Google Analytics, isto mostra a melhoria que o Google apresentou ao seu serviço nos últimos tempos, já que em 2007 ele estava na categoria “Bets Contenders”, que este ano ficou com a AT Internet e com o Yahoo!.

Porque tão poucos serviços são analisados? É que a Forrester usa uma nota de corte para escolher as empresas baseado na quantidade de clientes e se a empresa tem vendas acima de US$ 10 milhões.

Esta análise se baseia na comparação de três áreas:

“Current Offering” – onde são analisados a manipulação dos dados, métricas, dimensões e correlações, reportes e análises, integração e serviço e suporte;

“Strategy” – onde são analisados a estratégia do produto, a estratégia corporativa, o custo e os clientes mais importantes;

“Market presence – finanças da empresa e base instalada.

Até o próximo post!